Blog

Tártaro e placa bacteriana em cães e gatos

Tártaro e placa bacteriana em cães e gatos

Tártaro e placa bacteriana em cães e gatos

Fatores predisponentes:
• Genética: má oclusão dentária, raças braquicefálicas
• Dentes de leite persistentes
• Desuso dos dentes para roer/comer
• Consumo de alimentos altamente açucarados 
Devemos considerar, ainda, o facto de a saliva dos cães ser altamente alcalina o que protege contra a formação de carie, mas predispõe o aparecimento de tártaro (aumenta a formação de fosfato de cálcio).

A alimentação natural é benéfica? SIM!
Embora não consiga atuar no ponto 1 e 2 (embora a mastigação possa promover a queda dos dentes de leite) conseguimos atuar sobre os dois últimos pontos: 
• Oferecer ossos de forma recreativa para promover a limpeza dentária 
• A alimentação natural é livre de farinhas que aumentam o teor de hidratos de carbono da dieta (açúcares) e que promovem a formação de tártaro.


De referir que: a maioria dos cães não mastiga adequadamente as rações secas e estas são na sua maioria compostas por farinhas e cereais que promovem o aparecimento do tártaro. 
Além disso, mesmo os que mastigam a ração, não há movimentos de lateralização da mandibula pelo que a higienização dos dentes não é bem feita. 


Além dos ossos recreativos temos outras opções como hastes de gamo e veado, cornos de búfalo, treats saudáveis que promovam o ato de roer!


×